terça-feira, 1 de junho de 2010

O perigo do nacional-bolchevismo


Nascido das cinzas de uma União Soviética humilhada pelo revisionismo, o nacional-bolchevismo surge como reflexo das mais reacionárias forças que habitavam o finado Partido Comunista da União Soviética. Fundado no princípio do "Eurasianismo" como opositor do "Atlantismo", defende o legado do Império Romano, do Russo, do Alemão e do Austro-Húngaro. Isto é, para o Nacional-Bolchevismo o que vale é o autoritarismo, a hierarquia, o comunitarismo forçado e o imperialismo. E nesta sopa ideológica bizarra, coloca Lênin, Mussolini, Hitler, Júlio César, Pedro o Grande, Stálin e sei lá quem mais, no mesmo barco. Os nacional-bolchevistas defendem uma Rússia forte, que domine o continente de Leste a Oeste, portanto, defendem um Império Euroasiático.

O bolchevismo no nome é obviamente utilizado de maneira semelhante ao socialismo do partido nazista alemão. É uma forma de atrair jovens e pessoas em geral que tenham tendências socialistas, mas que sejam inexperientes politicamente. É uma armadilha para "rebeldes" em geral. Já que Lênin, Dzherzinsky, Stálin, Molotov, Kirov, entre tantos outros influentes bolcheviques, provavelmente vomitariam após ler alguma das idiotices proferidas por Aleksandr Dugin - um dos ideólogos fundadores do Nacional-Bolchevismo.

Vale ressaltar que o centro do bolchevismo eram as massas e as assembléias populares (que, em russo, chamavam-se "soviet"). O bolchevismo foi um movimento proletário que visava varrer o mundo do autoritarismo, da exploração do homem pelo homem e de qualquer forma de imperialismo. A degenerescência do então Partido Comunista de Toda a União Bolchevique acabou por formar algo que assemelha-se ao ideal nacional-bolchevista, porém a linha partidária não era mais bolchevique e, sim, revisionista. Homens como Brezhnev vislumbravam a Rússia como a maior potência do mundo, subjugando a todos com seu poderio militar. Seu governo que costumo chamar de "nacional-imperialista" visava a supremacia soviética no mundo, deixando as aspirações populares de lado. Ele era de uma ala revisionista conservadora e anti-liberal, porém anti-comunista também, talvez um pouco influenciada pelas teses euroasiáticas do início do século XX.

Além disso, o Nacional-Bolchevismo repudia o socialismo por ser filho do Iluminismo, assim como o liberalismo. Então o que tem de bolchevique nisso? Nada. Era melhor o nome ser Partido Fascista Russo, mais aí ele seria logo ridicularizado. Ao se esconder por trás do bolchevismo, esta ideologia monstruosa se firma como algo justo, utilizando símbolos populares como a foice e o martelo para enganar os leigos que simpatizam com a luta de Lênin e da União Soviética. Já vi vários ditos socialistas apoiando essa aberração política, sem nem saber que por trás daquela bandeira vermelha está o fantasma da antítese do comunismo, o nacional-socialismo de Hitler e o fascismo de Mussolini.


Portanto, comunistas e socialistas de todo o mundo, fiquem alertas. Não se deixem levar pelas retóricas e símbolos esquerdistas do Nacional-Bolchevismo. Esta ideologia, na verdade, é a união de todas as porcarias as quais os comunistas sempre lutaram contra. É o renascimento do espasmo político burguês do século passado, é o filhote revoltado do liberalismo, é o capitalismo em sua forma mais agressiva e amedrontada, é a escória do pensamento humano.

31 comentários:

  1. Camarada, eu traduzi o artigo "Os Perigos do nacional-bolchevismo", o castelhano a mais facilmente transmissível entre marxistas-leninistas falantes castelhanos. Espero que você não vai se importar. Quero parabenizá-lo para o material que tem em seu blog e eu encorajá-lo a continuar trabalhando.

    Uma saudação e para a vitória final!

    ResponderExcluir
  2. Gran trabalho camarada.
    Muito necessário, posto que não abundam reflexões sobre este tema.

    Abraço ML!!

    ResponderExcluir
  3. Meu caro,

    Retirando do artigo todos os seus equívocos, não sobra nada. O que chama de idiotices de Dugin são na verdade a única posição política internacional contra a hegemonia total dos EUA, há ainda outra posíção internacional anti-EUA, mas ela é religiosa.

    O nacional bolchevismo apresenta uma alternativa contra a picaretagem propagada aos quatro cantos pelos estadunidenses que a democracia é o melhor regime para os povos, entre outras idiotices. Ao que parece, vc comprou direitinho o pacote da democracia liberal e ainda se acha um socialista.

    Procure nos textos de Marx uma qualquer defesa da democracia, faça o mesmo com Lênin ou qualquer outro dos grandes socialistas...não há, só vai haver em escolas revisionistas como Frankfurtianos e gramscistas.

    A verdadeira revolução passa pelo nacional-bolchevismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente D.Matos. O socialismo de verdade jamais quis ser democrático. Só um completo desonesto como esses revisionistas da ala Trotskista é que falam tanto nessa bobagem de "democracia". E além disso não vejo mal algum em defender valores tradicionais. Os vermelhos de hoje em dia tão degenerados e completamente corrompidos por valores mundanos e vulgares acreditam piamente que no começo do século 20 todos os comunistas e socialistas achavam "normal" aberrações como feminismo e ideologia de gênero.

      Excluir
  4. Camarada pare de criticar o movimento nazbol. Você deveria ler os artigos duginianos e o eurasicos. Não segue a ideologia atlantista e imperialista.

    ResponderExcluir
  5. D. Matos, me desculpa, mas você deveria ler um pouco mais de Marx, Engels, Lênin, etc. Em suas obras está bastante explícita a defesa da democracia direta. O bolchevismo foi a luta pelo poder aos sovietes, ou seja, às assembléias populares. O socialismo é a superação do capitalismo, é a verdadeira democracia, longe do domínio tirânico do capital.

    Você comete um erro grotesco ao achar que há democracia nos "impérios atlânticos", pois não há. Há apenas uma encenação, enquanto que o poder realmente está nas mãos de que tem detém o capital. Comete um erro pior ainda ao concordar com o que a propaganda ocidental lança aos quatro cantos do mundo sobre os revolucionários socialistas - que estes seriam autoritários. Um socialista é um democrata.

    ResponderExcluir
  6. Pouco conheço de certo quanto ao Nacional-Comunismo mas acho que nem é tamanho perigo como o camarada cá, no seu artigo, diz. Acho que é um movimento respeitável além de a gente concordar ou não. Achei coisas do Nacional-Comunismo muito interessantes e outras com as que não concordo. É, pois, que o caminho do Estado ideal é aquele que sempre se busca, é aquele que não está definido, mas que se define. Ora bem, há algo que acho perigoso. Estou a falar da violência. Em verdade por vezes há que lutar como defesa mas não devemos esquecer que não é o mesmo defender-se do que atacar.

    ResponderExcluir
  7. Por favor, não confunda "Nacional-Comunismo" - seja lá o que for isso - com "Nacional-Bolchevismo".

    Nacional-Bolchevismo é uma política de tipo fascista e ultra-reacionária, semelhante ao Nacional-Socialismo. Não há a mínima semelhança entre Comunismo e Nacional-Bolchevismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  8. O nacional-bolchevismo não é fascista nem "ultra-reacionário"...se fosse "reacionário" não admitiria a revolução e a luta se for preciso.Movimentos reacionários não são revolucionários e não lutam,na maioria das evzes,contra o sistema capitalista.
    O nacional-bolchevismo é a GRANDE SINTESE dos maiores movimentos econômicos e metapolíticos da história.
    A saber:Capitalismo,Comunismo e Fascismo com todas suas vertentes.
    Mas,é claro que você rejeita o nacional-bolchevismo,pois sua cabeça esta limitada pelo contexto comunista.
    Até Bombacci reconehceu que a níveis de reformar sociais e trabalhistas o FASCISMO foi mais eficiente na Itália.
    Oras...não há SOCIALISMO real sem uma dose de TOTALITARISMO.
    Que Deus abençoe o nacional-bolchevismo.
    REX VACINCRA!

    ResponderExcluir
  9. No comentário a cima é REX VAINCRA,eu escrevi errado!
    Sobre as glórias sociais do nacional-socialismo:
    A ALEMANHA SOCIAL
    http://nacional-socialismo.com/A%20Alemanha%20Social.pdf
    O Fascismo demonstrou sua glória ao formar uma sintese entre capitalismo e comunismo.
    É tão simples perceber.
    Mas a cegueira vermelha te toma.
    Depois somos nós os fascistas os alienadores.

    ResponderExcluir
  10. kkkkkkkkkkkkk os membros deste movimento"nazbósta"na europa estão se aliando aos white power,uma atitude muito"esquerdista"não?!
    quem achar que estou errado pesquise num fórum neo-nazista chamado stormfront,já fizeram tópicos falando um absurdamente ridículo regime socialista no brasil apenas para os brancos!

    ResponderExcluir
  11. parei de seguir o blog depois que li esta bobagem.

    ResponderExcluir
  12. Ótimo trabalho camarada, estou divulgando esse material .
    Como dito pelo " Ned ludd " na europa eles estão aliados com a política de rua pregada pelos white power..

    ResponderExcluir
  13. Somente através do Nacional-Bolchevismo é possível alcançar o espírito absoluto, rumo ao fim da história!

    ResponderExcluir
  14. O Nacional-Bolchevismo é a única coisa decente que há hoje em dia a nível de ideologia e pouco importa se pessoas do movimento "World Pride" se filiam a ele.Achar isso relevante é o mesmo que confundir nazista com skinhead.

    Mas,eis o porém,a ideologia Nazbol não se limita a Eurasia,se bem que o contexto de Eurasianismo já refuta o "racismo alucinado" que só defende brancos.

    Afinal de contas Mao Zedong é considerado um ícone no meio dos Nazbol.Kim Jong-il e Ho Chi Mihn também.

    O problema é o fanatismo COMUNISTA que não CONVERSA nem se INTERAGE...ou é 80 ou é 8 não pode existir nenhuma forma SUPERIOR de síntese que logo já alopram.

    O Nazbol luta contra o capitalismo e NÃO É FASCISTA.

    Pois o Fascista de carteirinha não é muito diferente dos comunistas de carteira.NÃO ACEITAM NADA,NÃO ENXERGAM NEM UM PALMO A FRENTE DO NARIZ.

    Por isso o capitalismo se alastra...pq possiveis camaradas lutam entre si.Só pq discordam em alguns aspectos,apesar de concordar nos aspectos importantes...na luta contra Mammom.

    Pois é camaradas...Nazbol não é um PROBLEMA...não é TOTALITARISMO...por Stalin,sem pulso firme como se faz um estado decente e socialista?

    Estas foram uma das acusações mais toscas que eu vi por aqui de que o Nazbol é totalitário.

    ResponderExcluir
  15. Vejam o comentário de uma kamerad Nazbol contra o racismo biológico que,querendo ou não,influência interpretações ontológicas dos entes por mais que as diferenças raciais sejam razoáveis.

    Entrevista com Natella Speranskaja
    http://pbpolitica.blogspot.com.br/2012/03/entrevista-com-natella-speranskaja.html

    Homens comunistas,sejam homens de fato e reconhecem seus verdadeiros inimigos.

    O inimigo de todos nós camaradas,não é nazbol e,por incrivel que pareça,nem nazista...Mammon é o opressor...o Imperialismo é o opressor...

    Leiam Dugin...

    Sem Deus.
    Por Stalin.

    ResponderExcluir
  16. Tenho acordo total com o texto do autor.
    Agora os comentários dos fascistas de plantão, mais que desgraça ler eles... da nojo!
    Vontade de vomitar!!!
    Morte aos fascistas!!!
    Morte ao nacional-bolchevique!!!
    Morte a todos contra-revolucionários inimigos do povo!!!
    Minha conversa com nazi-fascistas, nacionalista, totalitários...é uma faca no coração e uma bola na testa de cada um!

    ResponderExcluir
  17. Vocês estão todos ficando loucos! Longa vida a Republica Federativa!

    ResponderExcluir
  18. 'Era melhor o nome ser Partido Fascista Russo, mais aí ele seria logo ridicularizado. '

    'Ridicularizado' por quem, por algum bosta como tu? Tu és um merda, um cagalhão, se manifesta aqui na internet, trotskysta arrombado.

    ResponderExcluir
  19. você havia alertado a tanto tempo, e olhe agora isso parece uma tendencia numa minoria da esquerda, muitos propagam homofobia e machismo se dizem "comunistas ortodoxos", só mais um grupo de fascistas, conservadores...espero q essa moda so fique no mundo virtual aqui pelo brasil

    ResponderExcluir
  20. As raízes do nacional-bolchevismo são mais antigas que Dugin e o Nazbol,e eles mesmo tem como fundamento esses elementos teóricos antigos. O papel de Dugin foi simplesmente de organizar e sistematiza-los.
    A oposição ao nacional-bolchevismo no ocidente, se deve ao fato da esquerda atuar da mesma forma forma que Trotsky, ou seja, financiada, apoiada e atendendo aos anseios do grande capital.
    O pensamento comunista é uma evolução constante que se constrói através da experiência e da genialidade da vanguarda revolucionária. Experimentamos a comuna deParis e aprendemos com ela, experimentamos a revolução russa, o bolchevismo, o marxismo-leninismo (stalinismo), o maoísmo, etc. E em todo esse tempo o movimento comunista foi sendo agregado de valor experiencial.
    Curiosamente, o nazbol, em qualidade, forma e cor, é extremamente semelhante com a ideologia comunista norte-coreana (nação e classe), e da mesma forma que trostkistas tendem a se posicionar ao lado dos espoliadores da OTAN/GCF (grande capita financeiro) se opondo às resistências progressistas/socialistas/nacionalistas (Coreia do Norte/Bolivarianismo/Síria/etc), obviamente que irão se posicionar contra o Nazbol (mesmo que certos elementos anti-modernistas seja totalmente passíveis de serem criticados).
    O que mais me espanta nisso tudo é que,mesmo os trotskistas apresentando um projeto economico e social que em ultima análise nada se diferencia do projeto reformista levado a cabo perfeitamente por Mussolini e Hitler (exceto quanto a questão racial/euronacionalista), tendo Trotsky inclusive chegado a afirmar que num país atrasado como o Brasil, a massa trabalhadora deveria pegar em armas e apoiar o governo fascista contra as forças democráticas - incluindo a Russia Comunista (o que levou os trotskistas a serem apelidados de "Social-fascistas"), realizar qualquer denuncia de qualquer forma a qualquer meio eos chama-los de "fascistas".
    Isso só mostra uma profunda incompreensão tanto fundamental quanto histórica daquilo que se defende.
    Os elementos que Dugin toma do fascismo e do nazismo não são outros senão os elementos do socialismo prussiano, lembrando que uma parcela da massa constituinte do partido nacional-socialista era formada realmente por socialistas (que após a ascenção de Hitler ao poder abandonam o partido e se tornam opositores - sendo contados inclusive como vítimas do exterminio nazista), e mesmo Mussolini anteriormente fora uma figura central no partido socialista (inclusive Lenin tendo-o considerado o único capaz de levar a frente uma revolução socialista na Itália).Porém, Dugin e a vanguarda nazbol são extremamente críticas quanto ao desenrolar do nazi-fascismo e dos elementos racistas/euronacionalistas que caracterizam esses movimentos.

    ResponderExcluir
  21. Camarada, existe uma confusão tremenda com relação ao Nacional-Bolchevismo na Rússia, pois o Partido Nacional-Bolchevique fundado por Limonov e dois outros artistas músicos em 1994, era de orientação Comunista e Stalinista, depois houve um grande atrito entre seus membros e ideais. O NBP ou (Partido Nacional-Bolchevique) foi proibido por fazer oposição ao governo e Limonov com premissa anti-Putin, foi perseguido, como em toda a sua vida, até por participar de guerrilhas na Sérvia e Chechênia. Com a proibição em 2006/2007, deixando o NBP na ilegalidade, surge a Coalização Outra Rússia ou Drugaya Rossiya, onde houve uma comoção nas ruas contra Putin em 2008, que reuniu o Nacional-Bolchevismo de Limonov, Liberais, Políticos Liberais Exilados, Kasparov, com a Extrema-esquerda da Avangard Krasnoi Molodyozhi (AKM)ou Vanguard da Red Youth, Comunistas, Nacionalistas, etc. daí Limonov cria o Partido "Outra Rússia" (mas declara que é anti-liberal em seu site onde você poderá ver suas premissas políticas - http://www.limonov2012.ru/article.html) e devido a esta coalizão com Liberais provoca a separação do Nacional-Bolchevismo em duas Alas, o "Outra Rússia" do antigo NBP Limonovista, e a Frente Nacional-Bolchevique Anti-Limonovista, e é justamente esta segunda que se alia a ideias fascistas e ultranacionalistas, ao Movimento contra Imigrantes como o Dpnl, e a União Jovem Eurasiana, ESM, Movimento Eurasiano de Aleksander Dugin, assumidamente fascista e anti-comunista... Esta NBF ou Frente Nacional-Bolchevique exalta antigos membros do Exército Branco que fizeram parte do Exército Vermelho, mas foram depois condenados e executados por traição a URSS, fazem apologia ao Czarismo, a Igreja Ortodoxa e ao Misticismo Russo, ao Smenovekhovtsy, a União Madlorossi... A confusão está aí, existem dois Nazbol, um do Limonov que passou a ser o Partido Ilegal "Outra Rússia" e a Frente Nacional-Bolchevique que junto com Dugin até pregam ódio racial contra os Ucranianos aponto de pedir seu extermínio, a outra confusão é que os membros da Juventude Eurasiana promovem atos terroristas e de vandalismo contra Petro Poroshenko e sua política, e o Nazbol ou Outra Rússia de Limonov tem guerrilheiros também contra este Governo... Limonov é perseguido por Putin, pois é anti-Putin que é do partido conservador nacionalista Rússia Unida de Centro-Direita, e que é suspeito de fornecer ajuda a Dugin e ao NBF (Frente Nacinal-Bolchevique).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas quem falou pra você que o Dugin é "racista" ou mesmo fascista? Ele mesmo descarta o fascismo, alegando que a tal terceira via como é conhecido o fascismo já está ultrapassada e que sua política de governo é contraditória pois fascistas sempre acabam se aliando à burguesia no final igual aconteceu na Itália. Tudo bem que o Dugin já elogiou alguns aspectos do fascismo mas nunca exaltou o racismo existente nele. Fascista ele não, eu diria que o Dugin é um nacionalista com alguma tendência de esquerda. Só isso.

      Excluir
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  23. Outra, Limonov também declara em entrevista que é contra o racismo e a xenofobia e que isto provocou membros do NBP, que se desvincularam do partido e formaram a NPF (Frente Nacional-Bolchevique), junto com o Movimento Eurasiano... Entretanto como Marxistas, não podemos também nos enganar a respeito do Nazbol, seja da Outra Rússia também, e sua aliança com Liberais, é contraditória... um membro da Outra Rússia, Ravil Bashirov, chegou a publicar e citar os Legionários do Agrupamento Corneliu Codreanu Z., um proto-nazista, antissemita, fascista da Guarda de Ferro, dizendo que o NBP seria como os Legionários da Romênia mas aos moldes do Século XXI, praticamente estes foram a inspiração dos Integralistas... Mas o mesmo, não sei se é pelo analfabetismo político, desconhecimento e confusão ideológica que há na Rússia, como houve em 1917, fez outras menções ao Marxismo, ao Manifesto Comunista e comparou o Nazbol ao IRA e ao Sinn Féin, ao ETA e ao Herri Batasuna ou Batasuna (O Batasuna e Sinn Féin se identificam com o Socialismo e com a Esquerda, Extrema-Esquerda, mas são Nacionalistas Anti-colonialismo).

    ResponderExcluir
  24. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  25. De fato havia uma tendência socialista dentro do Nazismo, inicialmente, que foi exterminada pelo próprio Hitler, uma destas correntes pode ter sido o Strasserismo, de Otto Strasser, de George e Otto Strasser, o primeiro foi assassinado na Noite das Facas Longas, e ambos eram opositores de Hitler... Otto foi do Freikorps, mas depois começou a absorver ideias socialistas e sindicalistas, fundando a Frente Negra (com emblema da Espada e do Martelo), mas era ainda antissemita, assim como o anarquista Proudhon era também, o socialista Dühring, o Nacionalista e Pan-eslavista que se tornou anarquista com mais de 50 anos de idade, Bakunin também o era... Após o Blutmai, em 1929 o Hitler propôs união e fim da dicotomia entre membros do Partido Comunista e da Social-Democracia Alemã, ludibriando-os e atraindo estes para se unir em único partido, o Partido Nazista... depois iniciou a perseguição aos comunistas e esquerdas, em seu Mein Kampf critica em praticamente todas a suas páginas o Comunismo Judeu, os Comunistas, os Judeus, Marx e o Marxismo... Durante a Revolução Alemã, houve muita confusão ideológica, entre Social-Democracia, Esquerda e Direita, Freikorps e os "Putsch", Esquerda Nietzcheana e Liga Espartaquista, o "socialismo democrático" esquerdista e a Social-Democracia Conservadora mais a Direita de Noske, etc. Mas o Nazismo não pode de forma alguma ser comparado ao Bolchevismo de Lenin, da URSS, ou ao Comunismo, pois muito se confunde com esquerda ao afirmar intervencionismo do Estado, mas o próprio Mussolini (ex-socialista e Ateu) depois fez tratados com a Igreja Católica (Latrão) e criou praticamente o Vaticano, tornando-se este mesmo um Católico... Antes de se tornar o Papa Pio XII, este assinou Concordada com a Alemanha Nazista, e no artigo 16 desta entrava em acordo de fidelidade e devoção dos sacerdotes da Igreja ao Fühere e III Reich... O Hitler mesmo com o Bispo Protestante Müller fundou a Igreja Nazista Alemã... Ou seja o Nazi-fascismo era Idealista e o Comunismo é Materialista... Mussolini entre 1922 e 1925 (época que já tinha o título de Dulce) adotou política econômica de Laissez Faire e depois adotou o Intevencionismo devido ao fracasso do liberalismo, ou seja, há formas de se conduzir o Capitalismo, tanto pelo Laissez Faire quanto pelo Capitalismo Politicamente Orientado pelo Estado Corporativista, que mantém a propriedade privada, extração de mais-valia, sendo um Estado Burguês e Elitista, não podendo ser confundido com o Capitalismo de Estado durante o NEP, "positivismo-esquerdista" (anti-clero), processo de transformação do Capitalismo Comercial em Industrial para se realizar o processo de implantação do Socialismo e Coletivização na URSS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até que enfim alguém lúcido em relação ao nazismo e ao fascismo. Exatamente meu caro, e aqui no Brasil as pessoas ultimamente costumam classificar como "comunista" qualquer governo intervencionista mesmo que o chefe do estado seja fervorosamente um anticomunista radical. Já chegaram até a dizer que o General Geisel era "comunista" por causa que durante seu regime o estado era enorme e extremamente intervencionista. Nem levam em conta as perseguições e torturas que os comunistas e a esquerda em geral sofriam. São analfabetos políticos. Um estado intervencionista não tem nada a ver com marxismo ou comunismo. Só na cabeça dos leigos, sobretudo os liberais fãs do Ludwig Von Mises.

      Excluir
  26. O brasileiro sempre consumindo ideologias e teorias europeias. Tem que descolonizar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você índio do Brasil, até quando vamos ser reféns de teorias europeias que não se adaptam a nossa realidade.

      Excluir